A ÁGUIA E A GALINHA

A ÁGUIA E A GALINHA
A ÁGUIA E A GALINHA

Conheçam o meu livro: MARIA, MADALENA,AMÉLIA, CÚ.

domingo, 23 de maio de 2010

MAIS DEPOIMENTO DE UMA MULHER TORTURADA PELO MARIDO!!


Da Redação, com informações de Wanda Chase
redacao@portalibahia.com.br

foto: jmA assistente social submetida a uma sessão de tortura promovida pelo próprio marido, que espancou, queimou e baleou a vítima na residência onde o casal vivia em Lauro de Freitas, falou à polícia pela primeira vez sobre as agressões. O crime foi cometido no último dia 26 de junho.

Por mais de quatro horas, em depoimento que terminou na noite desta quarta-feira (8), Luciana Brasileiro Lopo, 31 anos, que teve alta na última segunda-feira (6), relatou em detalhes as cenas de espancamento e humilhação que passou com o homem com quem vivia há três anos, Adalberto França Araújo Filho, 39 anos.


Assistente torturada por companheiro recebe alta
Assistente torturada terá ato de solidariedade

A delegada Luciana Cortes ouviu a assistente social na casa dos pais, no bairro de Itapoan, em Salvador. A imprensa não teve acesso. ‘Ela confirmou as agressões acrescentando detalhes. Disse que ele atirou mesmo nela. Ele usou faca, leite e café quente’, disse a delegada, que não escondeu a perplexidade diante da frieza e crueldade do professor de educação física. ‘Em pleno terceiro milênio, esse tipo de agressão não é cabível. Nunca vi uma situação dessa’, confessou.

O pai da vítima, Roberto Lopo, relatou o momento em que depois de espancar e amarrar a mulher na cama, o agressor foi até a cozinha esquentar leite para jogar sobre o corpo da vítima. ‘Ela ainda virou, mas teve o rosto queimado. Ele também queimou as costas dela’, relata. ‘Ela está com hematomas, mas o pior são as queimaduras’, completou.

Segundo a delegada, a vítima chorou bastante e precisou interromper o depoimento algumas vezes.

Histórico – De acordo com Roberto Lopo, a família não aprovava o relacionamento da filha com o professor de educação física porque ele aparentava falta de controle emocional e alguns indícios de agressividade. Ainda segundo Lopo, Luciana há algum tempo vinha demonstrando mudanças no comportamento. A família, no entanto, nega que já tenha havido outras agressões.

‘A gente, desde o início, não concordava com o relacionamento. A gente suspeitava que podia ter um desfecho desse’, disse o pai. Lopo pede uma mobilização da opinião pública para que o caso não caia na impunidade.

Adalberto França Araújo Filho está preso. Ele deve responder por crime de tortura e tentativa de homicídio.

Empregada – A delegada vai ouvir também o depoimento da empregada que trabalhava na residência do casal. ‘A empregada testemunhou e tentou defendê-la, mas ele a ameaçou’, disse Cortes.

Caso - A agressão aconteceu na residência do casal, em um condomínio em Vilas do Atlântico. De acordo com a polícia, a sessão de tortura durou mais de quatro horas e teve requintes de crueldade. Depois de manter a mulher amarrada, ele a espancou, derramou leite na vítima, provocando queimaduras. Depois quebrou dois braços e uma perna, e por fim, disparou dois tiros contra a assistente social.

Antes de fugir, Adalberto França ainda chegou a ligar para o pai. ‘Ainda teve a frieza de me ligar no meio da madrugada para dizer que tinha trucidado minha filha, que estava acabando de matar ela, e que eu fosse buscar. Quando chegamos lá, foi uma cena de terror. A casa toda cheia de sangue, acho que ela correndo para tentar se defender. O quarto ensopado de sangue. Depois, umas oito e meia da manhã, ligou para mim de novo procurando saber como ela estava para concluir o serviço’, diz o pai.

O agressor foi preso no dia 29 de junho, três dias após o crime. Ele foi encontrado na região de Simões Filho por agentes do Comando de Operações Especiais (COE).

Adalberto disse que cometeu as agressões por não aceitar supostos relacionamentos extraconjugais da mulher. 'Eu maltratei a minha mulher. Não admito traição’. Assim resumiu a motivação das barbaridades.

‘Mereço perdão porque ela é muito importante para mim. Foi uma mulher perfeita’, disse Adalberto, que afirmou nunca ter cometido outras agressões contra Luciana. ‘Vou provar que não sou um monstro’, completou.





UMA BOA NOITE!
UMA SEMANA DE GRANDES REALIZAÇÕES!!